top of page
  • Foto do escritorPastora Néia Leite

Olá, tudo bem contigo?

Em um encontro com uma amiga, conhecida, acompanhado do caloroso abraço, surge a emblemática pergunta, uma interrogação que, muitas vezes, não busca uma resposta verdadeira, pois nos dias de hoje muitas mulheres relutam em compartilhar suas angústias diante das adversidades pessoais e das crises que permeiam o mundo.



Você já imaginou responder a essa pergunta de forma genuína, revelando todas as nuances que a acompanham? Imagina sair do consultório terapêutico, do encontro com sua analista, e ser questionada: "Está tudo bem?" A resposta mais sincera poderia ser: "_Na verdade, não. Estou em um processo de cura e autoconhecimento" ou "_Agora estou melhor, mas passei por momentos desafiadores."


Assim como Jesus percorreu a Terra enfrentando as tentações e desafios humanos, ele é capaz de oferecer conforto e apoio a todas aquelas que se encontram sob ataque das tentações em qualquer área de suas vidas. Não vemos Jesus murmurando, se queixando ou lamentando, apesar das adversidades que enfrentou.


Eric Berne, o visionário criador da Análise Transacional, introduziu o conceito de "okeidade" para descrever o grau em que uma pessoa se aceita e se sente aceita pelos outros.


A okeidade é um indicador do bem-estar psicológico e é influenciada por diversos fatores, incluindo autoestima, autoimagem e experiências de vida. Quando uma mulher se sente bem consigo mesma e percebe que é aceita pelos outros, ela possui uma alta okeidade. Por outro lado, se ela se sente mal consigo mesma ou não se sente aceita pelos outros, sua okeidade é baixa.


Berne sugere que, quando a okeidade é baixa, a mulher pode ser mais suscetível a problemas emocionais e comportamentais, como ansiedade, depressão e autossabotagem. Por outro lado, quando a okeidade é alta, ela tende a ter mais resiliência emocional e capacidade de enfrentar os desafios da vida.


Para Berne, entender o funcionamento da mente era fundamental para promover mudanças e melhorias na vida das mulheres.


A comunicação e interação interpessoal são chaves para essa jornada, pois através da análise dessas interações, as mulheres podem identificar padrões de comportamento negativos e substituí-los por comportamentos mais saudáveis, promovendo relacionamentos mais gratificantes e uma vida mais plena.


Devemos auxiliar as mulheres a compreenderem suas emoções e comportamentos, melhorar suas relações interpessoais e desenvolver habilidades para lidar com os desafios da vida de maneira mais saudável e construtiva.


José, filho de Jacó, enfrentou inúmeras dificuldades em sua vida, desde ser vendido como escravo por seus próprios irmãos até ser injustamente encarcerado. Contudo, em todas as circunstâncias, ele manteve uma atitude positiva e confiante, acreditando que Deus estava ao seu lado e que tudo acabaria bem. Sua alta okeidade o ajudou a superar as adversidades e a manter uma postura positiva, mesmo diante de desafios.


Jó é reconhecido por sua paciência e fé em Deus, mesmo após enfrentar inúmeras perdas e sofrimentos. Apesar de ter perdido sua família, sua riqueza e sua saúde, ele nunca abandonou sua fé em Deus. Manteve a crença de que Deus tinha um plano para sua vida e que tudo se resolveria. Sua alta okeidade o permitiu superar as adversidades e permanecer fiel a seus valores e crenças.


Rute é um exemplo de alta okeidade, que a ajudou a superar desafios e a demonstrar amor e cuidado aos outros, mesmo em meio a circunstâncias difíceis. Manteve sua lealdade e amor incondicional, permanecendo ao lado de sua sogra Naomi, mesmo quando sua própria vida estava em risco. Mudou-se para uma terra estrangeira e trabalhou arduamente para prover alimentos e sustento para ela e sua sogra. Além disso, casou-se com um parente próximo de Naomi para preservar o nome de sua família.


Jesus, nosso maior exemplo de alta okeidade, demonstrou amor, compaixão e perdão, mesmo àqueles que o traíram ou o machucaram. Ensinou que todas as pessoas são amadas por Deus e que devemos tratá-las como gostaríamos de ser tratadas. Mesmo durante sua crucificação, Jesus não demonstrou raiva ou ressentimento, mas sim orou por seus agressores. Sua alta okeidade o capacitou a enfrentar as dificuldades da vida com coragem e amor, inspirando outros a fazerem o mesmo.



Que a graça e a sabedoria nos guiem sempre.


Pastora Néia Leite

Especialista

ABT 1.0008-SP

Pastora Néia Leite é uma mulher de notável superação e desenvolvimento. Casou-se com o Pastor Valcelí Leite em 1990 e, por uma década, foi proprietária da Clínica Postura em Assis, onde atuou como esteticista e professora de ginástica localizada.

Ordenada pastora em 1998, liderando mais de doze igrejas em capitais brasileiras e outras cidades, incluindo São Paulo, Goiânia, Salvador e Brasília, sendo pastora titular em quatro igrejas, incluindo Taguatinga/DF, Casa Verde/SP, Salvador-IAPI/BA e Lageado/SP.

Seu chamado para o aconselhamento e a cura interior de mulheres e tornou-se uma referência nessa área. Além de sua formação acadêmica em Ciências Contábeis, Educação Física e pós-graduação em Teopsicoterapia, ela está concluindo um MBA em Teoterapia e Competência Emocional.

Lançou os livros "Vencendo o Mal com a Palavra de Deus" compre na Amazon e "Sobre Elas" compre na Amazon , além de criar o Planner Teoterapêutico solicite o seu com frases semanais e meditações mensais.

Atualmente, trabalha profissionalmente no atendimento individual teoterapêutico e lidera quatro grupos de Teoterapia para mulheres.

Ela é mãe de duas filhas, Vitória e Melina, e recentemente se tornou avó de Isaque. Além de suas atividades ministeriais, mantém amizades duradouras e continua a impactar vidas ao redor do mundo através de seu ministério pastoral.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page